LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DE CASOS DE TUBERCULOSE NO MUNICÍPIO DE SANTA FÉ DO SUL (SP)

Autores

  • Gabriella Silva Borges FERREIRA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Milena Araújo BIRIBI Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Silmara Barroso da SILVA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Valéria da Silva CAMPOI Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Andreia Estela Moreira SOUZA Centro Universitário de Santa Fé do Sul, SP - Unifunec https://orcid.org/0000-0002-4741-6797

DOI:

https://doi.org/10.24980/ucm.v11i13.5635

Palavras-chave:

Mycobacterium, Tuberculose, Incidência, Epidemiologia

Resumo

A Tuberculose (TB), causada por Mycobacterium tuberculosis, um bacilo intracelular, aeróbico, transmitido por secreções respiratórias, constitui um importante problema de saúde pública. M. tuberculosis infecta preferencialmente os lóbulos inferiores dos pulmões, podendo se disseminar para outros órgãos, provocando a tuberculose miliar. Este estudo objetivou realizar um levantamento dos casos de Tuberculose no Município de Santa Fé do Sul, no período de janeiro de 2018 a janeiro de 2021, conhecendo o perfil epidemiológico dos infectados para subsidiar estratégias de controle. Foram coletados dados notificados pelo Sistema de Informação de Agravos e Notificação. A incidência de TB no período analisado foi de quatorze casos, sendo cinco do sexo feminino e nove do masculino, estando 50% na faixa etária de 45 a 64 anos. Embora 50% da amostra apresentasse alguma comorbidade, não foram encontradas comorbidades em comum. Aposentados, desempregados e “do lar” constituíram a maioria dos infectados. A tuberculose pulmonar foi a manifestação em 92% dos casos, havendo um caso de tuberculose pleural. O tratamento realizado combinou Rifampicina e Isoniazida, não havendo relatos de recidiva ou retratamento, evidenciando eficácia. Os dados de incidência estão de acordo com a literatura em relação ao sexo, idade, manifestações da doença e tratamento. Conclui-se que as ações municipais vêm sendo eficazes no tratamento, não havendo tuberculose miliar no período e um caso de óbito, relacionado ao usuário de drogas. Os resultados poderão instituir ações para otimizar o controle da doença, uma vez que no âmbito municipal tem-se um relacionamento mais estreito com o paciente com acompanhamento mais efetivo.

 

EPIDEMIOLOGICAL SURVEY OF TUBERCULOSIS CASES IN THE MUNICIPALITY OF SANTA FÉ DO SUL (SP)

 

ABSTRACT

Tuberculosis (TB), caused by Mycobacterium tuberculosis, an intracellular, aerobic bacillus transmitted by respiratory secretions, constitutes an important public health problem. M. tuberculosis mostly infects the lower lobes of the lungs, and may spread to other organs, causing miliary tuberculosis. This study aimed to conduct a survey of Tuberculosis cases in the Municipality of Santa Fé do Sul, in the period from January 2018 to January 2021, understanding the epidemiological profile of those infected in order to support control strategies. It was collected data notified by the Notifiable Diseases Information System.  The incidence of TB in the period analyzed was fourteen cases, five female and nine male, with 50% in the age range of 45 to 64 years. Although 50% of the sample had some comorbidity, no common comorbidities were found. Retired, unemployed and "housewives" constituted the majority of the infected. Pulmonary tuberculosis was the manifestation in 92% of the cases, with one case of pleural tuberculosis. The treatment given combined Rifampicin and Isoniazid, with no reports of recurrence or retreatment, showing efficacy. The incidence data are in agreement with the literature regarding gender, age, disease manifestations and treatment. We conclude that the local measures have been effective in the treatment, with no miliary tuberculosis in the period and one case of death, which was related to a drug user. The results may help to implement actions to strengthen the control of the disease, since at the local health care level there is a closer relationship with the patient and a more effective follow-up.

 

Keywords: Mycobacterium. Tuberculosis, Incidence, Epidemiology.

Biografia do Autor

Andreia Estela Moreira SOUZA, Centro Universitário de Santa Fé do Sul, SP - Unifunec

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, mestrado em Ciências Biológicas, área de concentração Genética pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e doutorado em Genética pelo Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas - IBILCE/UNESP. Atualmente é professora universitária titular das Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul (FUNEC), ministrando as disciplinas de biologia celular, genética e microbiologia nos cursos de Ciências Biológicas, Odontologia, Nutrição, Fisioterapia, Agronomia e Educação Fí­sica. É membro do comitê de ética em Pesquisa com seres Humanos, coordenadora do projeto PIBID/Ciências desde 2012 e membro do comitê cientí­fico da Revista da FUNEC. Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética Molecular e de Microrganismos, atuando principalmente nos seguintes temas: análise e detecção de contaminação microbiana, genética e fitovirologia. Além disso, desenvolve projetos de formação de educadores e na área de práticas e metodologias de ensino.

Referências

ANDRADE, D. F. de; SILVA, D. C. Perfil de pacientes idosos com tuberculose atendidos na unidade hospitalar Presidente Vargas. 2012. Disponível em: https://www.webartigos.com/artigos/perfil-de-pacientes-idosos-com-tuberculose-atendidos-na-unidade-hospitalar-presidente-vargas/82911/.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil/Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Manual do Sistema de Agravos de Notificação – Sinan-Net, versão 5.0. Brasília: Ministério da Saúde; 2014. 248 p. Disponível em: http://vigilancia.saude.mg.gov.br/index.php/ download/manual-do-sinannet-5-0/

BRASIL, Secretaria de Vigilância em Saúde. Dados epidemiológicos da tuberculose no Brasil. 2019. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/dezembro/09/APRES-PADRAO-NOV-19.pdf.

BRENNAN, P. Structure, function, and biogenesis of the cell wall of Mycobacterium tuberculosis. Tuberculosis, v.83, n.1-3, p. 91-92, 2003. Disponível em: pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/12758196/

BRENNAN P. J, NAKAIDO H. The envelope of mycobacteria. Annu Rev Biochem.v.64, p.29-63, 1995. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/7574484/

CARACTA, C. F. Gender differences in pulmonary disease. The Mount Sinai Journal of Medicine, New York, v. 70, n. 4, p. 215-227, Sep.2003. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/12968194/

CAREL, C. et al. Mycobacterium tuberculosis proteins involved in mycolic acid synthesis and transport localize dynamically to the old growing pole and septum. PLoS One. v.9, n.5, May 2014. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24817274/.

FONTES, G. J. F. et al. Perfil epidemiológico da tuberculose no Brasil no período de 2012 a 2016. Revista Brasileira de Educação e Saúde, v. 9, n. 1, p. 19-26, 1 jan. 2019. Disponível em: https://gvaa.com.br/revista/index.php/REBES/article/view/6376. Acesso em: 22 set. 2021.

FREITAS, W. M. T. de M. et al. Perfil clínico-epidemiológico de pacientes portadores de tuberculose atendidos em uma unidade municipal de saúde de Belém, Estado do Pará, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 7, n. 2, p. 45-50, jun. 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232016000200005.

FURP. ISONIAZIDA + RIFAMPICINA. Disponível em: http://www.furp.sp.gov.br/arquivos/produtos/bulas/profissional/63/FURP-ISONIAZIDA_RIFAMPICINA_BPROF_REV02.pdf.2013. Acesso em: 31 maio 2021.

HENN, L. de A. Testemunha da tuberculose antígeno lipoarabinomannan. 2002. 171 f. Tese (Doutorado em Ciências Médica) - Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2002 Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/1661/000354633.pdf;sequence=1.

IBGE. População. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/santa-fe-do-sul/panorama.cnes2019 Acesso em: 16 jul. 2020.

ISEMAN, M. D. Tuberculose. In: GOLDMAN, L.; AUSIELLO D. Cecil: Tratado de medicina interna. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. p. 2211-2220.

LONG, N. H. et al. Different tuberculosis in men and women: beliefs from focus groups in Vietnam. Soc Sci Med. v.49, n.6, p.715-22, 1999. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10459892/

MURRAY, P. et al. Manual of clinical microbiology. 9. Ed. Washington, D.C., American Society of Microbiology, 2008.

NAVA-AGUILERA, E. et al. Risk factors associated with recent transmission of tuberculosis: systematic review and meta-analysis. Int J Tuberc Lung Dis., v. 13, n. 1, p. 17-26, jan., 2009.

OLIVEIRA, L. G. F. et al. Incidência da tuberculose na Bahia: o retrato de uma década. Revista Revise, v. 4, n. 00, 2020. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/328144849.pdf. Acesso em: 15 set. 2021.

PILLER, R. V.B. Epidemiologia da Tuberculose. Pulmão, Rio de Janeiro, v.21, n 1, p. 4-9. 2012. Disponível em: http://www.sopterj.com.br/wp-content/themes/_sopterj_redesign_2017/_revista/2012/n_01/02.pdf

PINTO, P. F. P. S. et al. Perfil epidemiológico da tuberculose no município de São Paulo de 2006 a 2013. Revista Brasileira de Epidemiologia. v. 20, n. 03, 2017. p. 549-557. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-5497201700030016Acesso em: 16 set. 2021.

PROCÓPIO, M. J. (org.) Controle da Tuberculose: uma proposta de integração ensino-serviço. 7 ed. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 2014. 340 p. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/37871.

QUEIROZ, R.; NOGUEIRA, P. A. Diferenças na adesão ao tratamento da tuberculose em relação ao sexo no distrito de saúde da Freguesia do Ó/Brasilândia - São Paulo. Saúde e Sociedade. 2010, v. 19, n. 3, p. 627-637. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-12902010000300014

RAVIGLIONE, M.C. AND O’BRIEN, R. J. Tuberculosis. In: FAUCI, A.S et al. Harrison’s principle of internal medicine. 17TH. New York: Mcgraw-Hill Company, 2008. p. 1006-1020.

RODRIGUES, M. W.; MELLO, A. G. N. C. Tuberculose e escolaridade: uma revisão da literatura. Revista Internacional de Apoyo a la Inclusión, Logopedia, Sociedad y Multiculturalidad, v.4, n. 2, p.1-2, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.17561/riai.v4.n2.1.

SOTGIU, G. et al. The ERS-endorsed official ATS/CDC/IDSA clinical practice guidelines on treatment of drug-susceptible tuberculosis. Eur Respir J. v.48, n.4, 963-71, 2016.

VERONESI R, FOCACCIA R. Tratado de infectologia. 4.ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2010.

WHO. GLOBAL TUBERCULOSIS REPORT 2020. 2020. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/336069/9789240013131-eng.pdf. Acesso em: 22 set. 2021.

Downloads

Publicado

2022-11-23

Como Citar

FERREIRA, G. S. B. .; BIRIBI, M. A. .; SILVA, S. B. da .; CAMPOI, V. da S. .; SOUZA, A. E. M. LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DE CASOS DE TUBERCULOSE NO MUNICÍPIO DE SANTA FÉ DO SUL (SP). UNIFUNEC CIENTÍFICA MULTIDISCIPLINAR, Santa Fé do Sul, São Paulo, v. 11, n. 13, p. 1–11, 2022. DOI: 10.24980/ucm.v11i13.5635. Disponível em: https://seer.unifunec.edu.br/index.php/rfc/article/view/5635. Acesso em: 29 nov. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)