VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS: AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM DE PROFISSIONAIS EDUCADORES NO MUNICÍPIO DE SANTA FÉ DO SUL-SP

Autores

  • Elena Carla Batista MENDES Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec
  • Marizane LAWISCH Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec
  • Ueverton Camargo MORAES FAMERP
  • Carmem Costa MARTINS Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec

DOI:

https://doi.org/10.24980/rfcenf.v1i2.2151

Palavras-chave:

Aprendizagem, Crianças, Violência doméstica

Resumo

Escolas e creches são locais que crianças permanecem por mais tempo, após o seio familiar, são nelas que as crianças reproduzirão o que vivenciam em casa. Dessa forma, a violência sofrida no lar reverbera nesse ambiente a cada dia. O objetivo do estudo foi analisar o conhecimento dos profissionais da educação sobre Violência Doméstica Contra Crianças no município de Santa Fé do Sul – SP. A pesquisa foi realizada durante a execução do Programa de Educação pelo Trabalho PET-VS. Trata-se de uma pesquisa descritiva, quantitativa, a mesma foi aprovada pelo Comitê de Ética envolvendo ser humano nº 5428. Foi aplicado um questionário antes e após o treinamento. A amostra foi constituída por 55 mulheres apresentando idades que variam entre 20 a 65 anos, em sua maioria 49% com idades entre 30 a 39 anos. Em relação à ocupação profissional 7% eram diretoras, seguidos por 6% de coordenadoras pedagógicas e 87% de professoras. Houve pequena diferença entre as médias, mínimas e máximas das somas de acertos de pré e pós-treinamento, com evolução de 01 ponto na escala média. Por meio dos treinamentos os educadores foram conscientizados e sensibilizados para a identificação e notificação de crianças vitimadas e assim, garantir ações para que estas sejam encaminhadas e acompanhadas por profissionais especialistas, garantindo uma possível qualidade de vida na infância.

Biografia do Autor

Ueverton Camargo MORAES, FAMERP

Enfermeiro Residente em Atenção Básica com Ênfase em Estratégia Saúde da Famí­lia da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto- FAMERP

Referências

ALGERI S. A. violência infantil na perspectiva do enfermeiro: uma questão de saúdee educação. Revi Gaúcha Enferm, Porto Alegre – RS, v.26 n.3, p. 308 – 315 dez 2005. Disponível em: <http://www.seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/viewFile/4561/2488>. Acessado em: 04 ago. 2015.

BARROS, A. P. M. Saberes docentes no contexto da educação infantil: a prática pedagógica em foco. 2015. 249 f.Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifica universidade Católica, Campinas, 2015. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/tde_arquivos/3/TDE-2015-05-14T115323Z-1923/Publico/ADELIR%20APARECIDA%20MARINHO%20DE%20BARROS.pdf> Acesso em: 19 maio 2015.

BOUCHARD, E. M.;TOURIGNY, M. JOLY, J.et al. Psychological and health sequelae of childhood sexual, physical and psychological abuse.Rev Epidemiol Sante Publique,Canada, v.5, n. 56, p. 333-344, Oct. 2008. Disponível em <http://www.ncbi. nlm.nih.gov/pubmed/18951739>. Acesso em: 20 nov. 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Linha de cuidado para a atenção integral à saúde de crianças e adolescentes e suas famílias em situação de violências: orientação para gestores e profissionais de saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2010.

CERESZO, M. A. PONS-SALVADOR. Improving chilmaltreatement systems: a large-scale case study involving healt services, and school professional.Child Abuse andNeglect Oxford. v.28, n. 11, p. 1153-1169, Nov.2004.

CERISARA, A. B. Educadoras de creches:entre o feminino e o profissional. UFSC, Santa Catarina, 17 p. 2008 Disponível em:<http://www.portalanpedsul.com.br/admin/uploads/1998/Educacao_infantil/Trabalho/04_40_52_EDUCADORAS_DE_CRECHES.pdf> Acessado em: 19 maio 2015.

DESLANDES, S. F. Atenção a criança e adolescentes vítimas de violência doméstica: análise de u serviço. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro. v.10, p.177-188, 1994.

FRANCISCHINI, R. NETO, M. O. S. Enfrentamento à violência contra criança e adolescentes: projeto escola que protege. Revista do departamento de psicologia – UFF, v. 19, n. 1, p. 243 – 252, Rio de Janeiro, RJ. 2007.

GARCIA, A. F. G.; SOUZA, M. G. C.; MENEZES, V. A. Conhecimento e percepção de professores sobre maus tratos em crianças e adolescentes, Saúde e Soc. São Paulo, v.18. n.1, p.131-140, 2009.

GONÇíLVES, S. H.; FERREIRA, A. L. A notificação da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro. v. 18, n. 1, p. 315-319, jan-fev. 2002.

KRUG, E. G. DAHLBERG L.L. MERCY, J.A, ZWI A. et al. editores.Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra: Organização Mundial da Saúde, 2002.

SXHALL, V. T. Environmental and healt education for school –age children: a transdisciplinar approach. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro. v. 10, n.2, p. 259-263, abr-jun. 1994.

UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL. Métodos de pesquisa. Porto Alegre, RS: UFRGS, 2009. 120 p. Disponível:<http://www.ufrgs.br/cursopgdr/downloadsSerie/derad005.pdf acessado em 25/11/14>. Acesso em: 25 nov. 2014.

Downloads

Publicado

2018-03-22

Como Citar

MENDES, E. C. B., LAWISCH, M., MORAES, U. C., & MARTINS, C. C. (2018). VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS: AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM DE PROFISSIONAIS EDUCADORES NO MUNICÍPIO DE SANTA FÉ DO SUL-SP. UNIFUNEC CIÊNCIAS DA SAÚDE E BIOLÓGICAS, 1(2), 58–69. https://doi.org/10.24980/rfcenf.v1i2.2151

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)