DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE SENSORIAL DE BARRINHA DE CEREAIS PARA CELÍACOS COM REAPROVEITAMENTO DE RESÍDUOS ALIMENTÍCIOS

Autores

  • Isabella Dresch MARTINS Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Mateus Henrique Rodrigues dos SANTOS Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Anelisa Doretto Freitas FURLAN Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Elisandra de Mello DÉO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec

DOI:

https://doi.org/10.24980/ucm.v11i13.5555

Palavras-chave:

Celíacos, Análise sensorial, Barrinha de cereais

Resumo

Os celíacos são indivíduos intolerantes ao glúten e como não há variedades de alimentos disponíveis a este público, o presente trabalho tem como objetivo desenvolver uma barrinha de cereais rica em diversos nutrientes, pois são utilizados resíduos de vegetais (casca do ovo, da beterraba e da cenoura), que agrega valor nutricional, além de castanhas, gergelim, quinoa, flocos de arroz, linhaça, aveia, mel, uva passa e chocolate 70% cacau e livre de glúten. Por se tratar de uma pesquisa experimental qualitativa e quantitativa, foi submetida ao Comitê de Ética em Pesquisa com registro CAAE 45736721.9.0000.5428 e parecer de aprovação 4.769.607. No início, foram desenvolvidos testes de formulações para que se chegasse a um produto final agradável ao paladar. Após, foi aplicado o TCLE (Termo de Consentimento Livre e Esclarecido) e, assim, o teste de aceitação ao público em geral, realizado no Laboratório de Técnica e Dietética do Unifunec. Empregou-se para análise sensorial, a escala hedônica estruturada de nove pontos, além do teste de intenção de compra. Os resultados obtidos dos 57 participantes, entre eles, alunos e colaboradores do Unifunec, mostraram que a barrinha produzida adquiriu aceitação global nota 9 em 64,91% do público. O quesito sabor obteve nota 9, dada por 38 pessoas, que representam 71,93% dos consumidores. Apenas um indivíduo avaliou com nota 4 o aroma, 1,75% do público. No item aparência, 56,14% indicaram nota 9, considerando a aprimoração da receita. No teste de intenção de compra, 77,19% dos avaliadores, ou seja, 44 pessoas, certamente comprariam o produto. Portanto, a barrinha de cereais para celíacos alcançou uma boa aceitação pelos participantes, relacionada aos parâmetros analisados, como sabor, textura, aroma e aparência, com notas acima de 7 em 70% dos degustadores. Findou-se que o produto atende aos propósitos de um alimento voltado ao público celíaco e também com características sensoriais agradáveis.

 

DEVELOPING AND SENSORIOUS ANALYSIS OF CEREAL BARS FOR CELIACS WITH REUSE OF FOOD WASTE

 

ABSTRACT

Celiacs are people who suffer from gluten intolerance and since there are no varieties of foods available to this public, this work aims to develop a cereal bar that is rich in several nutrients, as it uses vegetable waste (eggshells, beet and carrot), which adds nutritional value, in addition to nuts, sesame, quinoa, rice flakes, flaxseed, oats, honey, raisins and 70% cocoa powder being gluten free. Being a qualitative and quantitative experimental research, it was submitted to the Research Ethics Committee with registration CAAE 45736721.9.0000.5428 and approval opinion 4.769.607. In the beginning, formula tests were developed to reach a final product that was pleasant to the palate. After that, the CAF (Consent Agreement Form) was applied and, thus, the acceptance test to the general public, carried out at the Unifunec's Laboratory of Technique and Dietetics. For sensory analysis, the nine-point structured hedonic scale was used, in addition to the purchase intention test. The results obtained from 57 participants, including students and employees of Unifunec, showed that the cereal bar produced was accepted globally with a score of 9 by 64.91% of the public. Flavor was rated 9 by 38 people, representing 71.93% of the consumers. Only one person evaluated the aroma with a score of 4, 1.75% of the public. In the item appearance, 56.14% rated 9, considering the improvement of the recipe. In the purchase intention test, 77.19% of the evaluators, i.e. 44 people, would certainly buy the product. Therefore, the cereal bar for celiacs achieved good acceptance by the participants, related to the parameters analyzed, such as flavor, texture, aroma and appearance, with scores above 7 in 70% of the tasters. It was concluded that the product meets the requirements of a food product for celiacs and also has pleasant sensory characteristics.

 

Keywords: Celiacs. Sensory analysis. Cereal bars.

Referências

ANJOS, C. N. et al. Desenvolvimento e aceitação de pães sem glúten com farinhas de resíduos de abóbora. Arquivos de Ciências da Saúde, v. 24, n. 4, p. 58-62. 2017. Disponível em: https://www.cienciasdasaude.famerp.br/index.php/racs/article/view/870. Acesso em: 11 abr. 2021.

BORGES, W. G. Alergia alimentar: abordagem prática. Sociedade Brasileira de Pediatria. Disponível em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/pdfs/alergia_alimentar.pdf. Acesso em: 18 nov. 2020.

BRASIL. Instrução Normativa – IN nº 75, de 8 de outubro de 2020. Diário Oficial da União. 09 de outubro de 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-in-n-75-de-8-de-outubro-de-2020-282071143. Acesso em: 28 set. 2021.

BURKERT, Janaína Fernandes de Medeiros. Introdução em análise sensorial. Rio Grande: Ed. FURG, 2013. 43 slides, color. Disponível em: http://repositorio.furg.br/bitstream/handle/1/9411/15INTRODU%c3%87%c3%83O%20EM%20AN%c3%81LISE%20SENSORIAL1.pdf?sequence=1. Acesso em: 29 mar. 2021.

CARDOSO, L. T. et al. Doença celíaca e a utilização de novos alimentos sem glúten. Porto Alegre: UFRGS, 2021. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/219090/001123490.pdf?sequence=1>. Acesso em: 29 mar. 2021.

CASTRO, F. F. M. et al. Alergia alimentar. Barueri, SP: Manole, 2010. p 1-4. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=lang_pt&id=XFhzhQkdjeoC&oi=fnd&pg=PA1&dq=alergia+alimentar+x+intolerância+alimentar&ots=AxJCfnkIzd&sig=ZI552YdUsCyf-GJTfU_V_AyC_nk#v=onepage&q&f=true. Acesso em: 22 mar. 2021.

DUTCOSKY, S. D. Análise sensorial de alimentos. 3 ed. Curitiba: Ed. DA Champagnat, 1996.

FRANCO, V. A; SILVA, F. A. Pão sem glúten: busca por novos produtos. Revista processos químicos, v. 10, n. 20, p. 173-191, 2016. Disponível em: ojs.rpqsenai.org.br/index.php/rpq_n1/article/view/363. Acesso em: 18 nov. 2020.

GRÜTZMANN, A.; ZAMBALDE, A. L.; BERMEJO, P. H. de S. Inovação, Desenvolvimento de novos produtos e as Tecnologias internet: estudo em empresas brasileiras. Gestão e Produção, São Carlos, v. 26, n. 1, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/gp/v26n1/0104-530X-gp-26-1-e1451.pdf. Acesso em: 11 maio. 2021.

HENNING, J. R; SCHAUREN, J. da S. Critérios e técnicas para diagnóstico da doença celíaca. Revista Eletrônica Biociências, Biotecnologia e Saúde, Curitiba, v. 12, n. 24, p. 45-52, 2019. Disponível em: https://seer.utp.br/index.php/GR1/article/view/2444. Acesso em: 21 abr. 2021.

LANSING, T. Elaboração, aceitabilidade e valor nutricional de barras de cereais produzidas a partir de farelo de torrone. 2017. 67 f. Monografia (Bacharelado em Engenharia de Alimentos) – Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, 2017. Disponível em: https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/1936/1/2017TamiresLansing.pdf. Acesso em: 28 set. 2021.

MONTE, H. M. C. Alergias e intolerâncias alimentares: novas perspectivas. 2015. 40 f. Dissertação (Mestrado) – Intituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Universidade do Porto, Porto, 2015. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/81841/2/37590.pdf. Acesso em: 22 mar. 2021.

OLIVEIRA, T. W. N. et al. Dificuldades encontradas pelos pacientes celíacos em seguir a dieta isenta de glúten. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research, Cianorte, v. 24, n. 3, p. 110-115, 2018. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20181103_222951.pdf. Acesso em: 11 maio. 2021.

PHILIPPI, S. T. Tabela de composição de alimentos: suporte para decisão nutricional. 6 ed. Barueri, SP: Manole, 2018, 147p.

QUEIROZ, M. R; SIMIONI, P. U; UGRINOVICH, L. A. A doença celíaca: bases imunológicas e genéticas da intolerância ao glúten. Revista Ciência e Inovação. v.5, n.1, jun. 2020. Disponível em: faculdadedeamericana.com.br/revista/index.php/Ciencia_Inovacao/article/view/468. Acesso em: 22 mar. 2021.

RIBAS, H. de O.; GONÇALVES, D. S.; MAZUR, C. E. Benefícios funcionais do cacau (Theobroma cacao) e seus derivados. Revista Visão Acadêmica, Curitiba, v. 19, n. 4, p. 67-74, 2018. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/academica/article/view/61915. Acesso em: 18 jul. 2021.

RESSUTTE, J. B. et al. Barra de cereais de resíduo de acerola isenta de glúten. In: Encontro Internacional de Produção Científica, XI, 2019, UniCesumar. Anais eletrônico. Maringá: 29/10/2019 a 30/10/2019. p. 1-8. Disponível em: rdu.unicesumar.edu.br/bitstream/123456789/3274/1/Jéssica%20Maria%20Ferreira%20de%20Almeida%20Do%20Couto.pdf>. Acesso em: 04 out. 2021.

SCHERF, Katharina. A. What is gluten - why is it special. Frontiers in Nutrition, v. 6, 101p, 2019. Disponível em: https://www.frontiersin.org/article/10.3389/fnut.2019.00101. Acesso em: 11 abr. 2021.

SOLÉ, D. et al. Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar. Arquivos de Asma, Alergias e Imunologia, v.2, n.1, p.7-38, 2018. Disponível em: https://www.sbp.com.br/flip/consenso-alergia-alimentar-parte-01/. Acesso em: 21 abr. 2021.

VASCONCELOS, N. C. M. et al. Análise sensorial de barras de cereal adicionadas de farinha de cogumelo Pleurotus eryngii. Pesquisa Agropecuária Pernambucana, Recife, v. 25, n. 2, p. 1-7, 2020. Disponível em: https://pap.emnuvens.com.br/pap/article/view/227/116. Acesso em: 04 out. 2021.

VIEIRA, T. S. et al. Efeito da substituição da farinha de trigo no desenvolvimento de biscoitos sem glúten. Brazilian Journal of Food Technology, Campinas, v. 18, n. 4, p. 285-292, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/bjft/v18n4/1981-6723-bjft-18-4-285.pdf. Acesso em: 23 abr. 2021.

VILLALBA, E. L. Aproveitamento de resíduos de beterraba e cenoura para enriquecimento de bolo inglês com compostos bioativos. In: CONGRESSO NACIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, CONIC, 18º, Anais... 2018. Disponível em: conic-semesp.org.br/anais/files/2018/trabalho-1000000964.pdf. Acesso em: 28 set. 2021.

VILAR, J. dos S.; SABAA-SRUR, A. U. O.; MARQUES, R. G. Composição química da casca de ovo de galinha em pó. Boletim Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, Curitiba, v. 28, n. 2, p. 247-254, 2010. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/alimentos/article/view/20439/13698. Acesso em: 28 set. 2021.

Downloads

Publicado

2022-09-02

Como Citar

MARTINS, I. D.; SANTOS, M. H. R. dos; FURLAN, A. D. F.; DÉO, E. de M. DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE SENSORIAL DE BARRINHA DE CEREAIS PARA CELÍACOS COM REAPROVEITAMENTO DE RESÍDUOS ALIMENTÍCIOS. UNIFUNEC CIENTÍFICA MULTIDISCIPLINAR, Santa Fé do Sul, São Paulo, v. 11, n. 13, p. 1–15, 2022. DOI: 10.24980/ucm.v11i13.5555. Disponível em: https://seer.unifunec.edu.br/index.php/rfc/article/view/5555. Acesso em: 28 set. 2022.