SÍFILIS: SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DE UM MUNICÍPIO SITUADO A LESTE DO MATO GROSSO DO SUL

Autores

  • Cintia Aparecida Julio de QUEIROZ Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec https://orcid.org/0000-0002-5086-3512
  • Ester Cristina dos Santos XAVES Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Adriana Luiz Sartoreto MAFRA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec

DOI:

https://doi.org/10.24980/ucm.v11i13.5623

Palavras-chave:

Sífilis, Vigilância epidemiológica, Epidemiologia, Vigilância, Notificação

Resumo

A sífilis é uma infecção de caráter sistêmico causada pelo Treponema pallidum, peculiar do ser humano e que, se não for tratada de maneira precoce, pode evoluir cronicamente causando efeitos devastadores no organismo. O objetivo foi caracterizar o perfil epidemiológico da sífilis adquirida, em gestante e congênita notificadas em um município situado a leste do Estado do Mato Grosso do Sul, no período de 2015 a 2019. Trata-se de uma pesquisa quantitativa de caráter exploratório e descritivo, a partir do levantamento de dados através do Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Serviço de Vigilância em Saúde e Ambiental e da Secretaria de Saúde do Município de Aparecida do Taboado/MS, sendo aprovado pelo Coordenador de Saúde e pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Os dados foram analisados de forma descritiva e codificados fidedignamente, utilizando-se o Qui-quadrado e o Programa SPSS, versão 20.0, que gerou frequências absolutas e relativas, que foram comparadas com as da literatura pertinente. Foram identificados 51 casos, sendo 31de sífilis adquirida; 19 de sífilis em gestante e 1 de sífilis congênita no período estudado. O perfil estudado desse agravo aponta para uma oscilação da incidência de casos no período analisado. A ocorrência dos casos está amplamente ligada à falência ou não adesão ao tratamento, carecendo de estratégias de prevenção e uma melhor forma na abordagem da doença por parte dos profissionais no momento de sua descoberta.

 

SYPHILIS: EPIDEMIOLOGICAL OVERVIEW OF A CITY IN THE EAST OF MATO GROSSO DO SUL STATE

 

ABSTRACT

Syphilis is a systemic infection caused by Treponema pallidum, which is peculiar to humankind and, if not treated at an early stage, may chronically progress causing devastating effects on the body. The purpose was to describe the epidemiological profile of acquired, pregnant and congenital syphilis notified in a municipality located in the eastern part of the State of Mato Grosso do Sul, in the period from 2015 to 2019. A quantitative, exploratory, descriptive study was carried out, based on a data survey using the Sistema de Informação de Agravos de Notificação of the Serviço de Vigilância em Saúde e Ambiental and Secretaria de Saúde do Município de Aparecida do Taboado/MS, and approved by the Health Coordinator and the Research Ethics Committee. The data were descriptively analyzed and reliably coded using the Chi-square and the SPSS program, version 20.0, which generated absolute and relative frequencies, which were compared with those in the respective literature Fifty-one cases were identified, being 31 of acquired syphilis, 19 of syphilis in pregnant women and 1 of congenital syphilis in the survey period. The observed profile of this grievance points to an oscillation in the incidence of cases in the analyzed period. The occurrence of cases is extensively associated with the failure or non-adherence to treatment, lacking prevention strategies and a better approach to the disease by health professionals at the time of its detection.

 

Keywords: Syphilis. Surveillance. Epidemiology. Notification.

Referências

AMORIM, Lethicia Cristina Ignácio; DE PAULA FREITAS, Maria Fernanda; DA CRUZ, Felipe Mactavisch. SÍFILIS: Um Estudo do Cenário Epidemiológico do Brasil e dos Municípios de Barra do Piraí e Valença (RJ). Episteme Transversalis, v. 12, n. 1, 2021.

APARECIDA DO TABOADO. Prefeitura Municipal de Aparecida do Taboado. Dados Históricos. https://aparecidadotaboado.ms.gov.br/. Acesso em: 01 dez 2019.

ARAUJO, Rachel Sarmeiro; SOUZA, Ana Sara Semeão de; BRAGA, José Ueleres. A quem afetou o desabastecimento de penicilina para sífilis no Rio de Janeiro. Revista de Saúde Pública, v. 54, p. 109, 2020. Disponível em: http://www.rsp.fsp.usp.br/wp-content/uploads/articles_xml/1518-8787-rsp-54-109/1518-8787-rsp-54-109-pt.x34413.pdf.

ARRUDA, Gabriella Andrade Viegas et al. A Realidade da sífilis materna e congênita no território brasileiro: uma revisão de literatura. RESU - Revista Educação em Saúde, v.8, Suplemento 2, 2020. Disponível em: http://periodicos.unievangelica.edu.br/index.php/educacaoemsaude/article/view/4984/3422

BATISTA, Maria Amanda Lima et al. Panorama epidemiológico dos idosos acometidos por sífilis adquirida em um município da zona da mata pernambucana. Revista de Atenção à Saúde, v. 18, n. 65, 2020.Disponível em: https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_ciencias_saude/article/view/6715/3161.

BRASIL CHANNEL. Conheça os municípios do Brasil. Disponível em: https://www.brasilchannel.com.br/municipios/mostrar_municipio.asp?nome=Aparecida%20do%20Taboado&uf=MS&tipo=dados+gerais. Acesso em: 28 de Nov de 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União, 2013. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

BRASIL. Guia de Vigilância em Saúde. Brasília-DF. Ministério da Saúde. 2017. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_vigilancia_saude_3ed.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Nota Informativa nº 2-SEI/2017-DIAHV/SVS/MS. Altera os critérios de definição de casos para notificação de sífilis adquirida, sífilis em gestante e Sífilis Congênita. Disponível em http://www.aids.gov.br.

BRASIL. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/ Aids e das Hepatites Virais. Sifílis. Boletim Epidemiológico, v.49, n.5, out. 2018. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2018/boletim-epidemiologico-de-sifilis-2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico Sífilis. 2019a out. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2019/boletim-epidemiologico-sifilis-2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde Programa Nacional de DST e AIDS. Diretrizes para o controle da Sífilis Congênita. Manual de Bolso. Brasília-DF 2006. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância em saúde, 4.ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2019. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_vigilancia_saude_4ed.pdf.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico da Sífilis. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2020. Disponível em: http://www.aids.gov.br › pt-br boletins-epidemiologicos.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico da Sífilis. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2016. Disponível em: https://antigo.saude.gov.br› pdf › 2016 › outubro

BRASIL. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigilância em saúde no Brasil 2003|2019: da criação da Secretaria de Vigilância em Saúde aos dias atuais. Boletim Epidemiológico. Número especial, set. 2019b. Disponível em: http://www.saude.gov.br/boletins-epidemiologicos.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para atenção integral às pessoas com infecções sexualmente transmissíveis (IST), Brasília, Ministério da Saúde, 2020. 248 p. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2020/protocolo-clinico-e-diretrizes-terapeuticas-para-atencao-integral-pessoas-com-infeccoes

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan: normas e rotinas. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2007. 68 p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos). Disponível em: http://vigilancia.saude.mg.gov.br/index.php/download/manual-sinan-normas-e-rotinas-2a-edicao/?wpdmdl=5453

CAVALCANTE, Kalyne Moraes; BRÊDA, Beatriz Fernandes; POL-FACHIN, Laércio. Perfil epidemiológico da Sífilis gestacional no Nordeste Brasileiro entre 2015 e 2020. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 3, p. 14055-14063, 2021.

CENTERS FOR DISEASES CONTROL AND PREVENTION. Sexually Transmitted Disease Surveillance 2017. Atlanta: US Department of Health and Human Services; 2018. Disponível em: https://www.cdc.gov/std/stats17/2017-STD-Surveillance-Report_CDC-clearance-9.10.18.pdf.

COLMANN, Camila Hofmann et al. Perfil epidemiológico de casos notificados de sífilis adquirida em Canela/RS/Epidemiological profile of notificated cases of acquired syphilis in Canela/RS. Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 6, p. 17559-17572, 2020.

DA CUNHA, Mickaella Ribeiro et al. Perfil epidemiológico da sífilis gestacional em uma cidade do nordeste brasileiro: clínica e evolução de 2014 a 2019. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 13, n. 3, p. e6086-e6086, 2021. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/saude/article/view/6086/4216

DA SILVA OLIVEIRA, Vinícius et al. Aglomerados de alto risco e tendência temporal da sífilis congênita no Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 44, 2020. Disponível em: https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/52524/v44e752020.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

DOMINGUES, Carmen Silvia Bruniera et al. Protocolo Brasileiro para Infecções Sexualmente Transmissíveis 2020: sífilis congênita e criança exposta à sífilis. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 30, 2021.

FAGUNDES, Raíssa Neves et al. Incidência de sífilis adquirida no município de São João Del Rei-MG no período de 2015 a 2018. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 8, p. 58834-58842, 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/15143.

FERRAZ, Brenda Dantas; SIMÕES, Ivandira Anselmo Ribeiro; DA SILVA, Lídia Chiaradia. Caracterização dos casos de sífilis atendidos no CTA. Anais Eletrônicos de Iniciação Científica, v. 4, n. 1, p. 1-5, 2020. Disponível em: http://rfwb.phl.bib.br/index.php/ProbicFWB/article/view/102

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo 2010. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=293330. Acesso em: 01 dez. 2019.

MAFRA, Adriana Luiz Sartoreto. Fatores demográficos e clínicos associados à sífilis congênita e gestacional no Noroeste Paulista. 2019. 102 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto. Disponível em: https://bdtd.famerp.br/handle/tede/596.

MASCHIO-LIMA, Taiza et al. Perfil epidemiológico de pacientes com sífilis congênita e gestacional em um município do Estado de São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 19, p. 865-872, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbsmi/a/3pCKZ5sv6CBCBtzCYgCHP3s/abstract/?lang=pt

MORENO, Caio Roberto de Paiva; FREITAS, Guilherme da Mata Freitas; LAZO, Maurício Manuel Llaguno. Análise epidemiológica de casos de sífilis notificados em uma cidade do interior paulista. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 13, n. 3, p. e6848-e6848, 2021. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/saude/article/view/6848.

PEREIRA, Thercyo Ariell Costa et al. Aspectos epidemiológicos da sífilis congênita no Brasil. Revista de Casos e Consultoria, v. 12, n. 1, p. e24303-e24303, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/casoseconsultoria/article/view/24303.

PAHO. PAN AMERICAN HEALTH ORGANIZATION. Elimination of mother-to-child transmission of HIV and syphilis in the Americas. Update 2016. Washington, D.C.: PAHO; 2017. Disponível em: https://iris.paho.org/handle/10665.2/34072.

SOARES, Karllian Kerlen Simonelli et al. Análise espacial da sífilis em gestantes e sífilis congênita no estado do Espírito Santo, 2011-2018. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 29, p. e2018193, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.5123/S1679-49742020000100018

VIEIRA, Claudineia. Perfil epidemiológico, investigação e evolução dos casos de sífilis em um município brasileiro. Comunicação em Ciências da Saúde, v. 31, n. 02, p. 105-116, 2020. Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/608

WORLD HEALTH ORGANIZATION. WHO guidelines for the treatment of Treponema pallidum (syphilis). 2016. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/249572/?sequence=1

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

QUEIROZ, C. A. J. de .; XAVES, E. C. dos S. .; MAFRA, A. L. S. SÍFILIS: SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DE UM MUNICÍPIO SITUADO A LESTE DO MATO GROSSO DO SUL. UNIFUNEC CIENTÍFICA MULTIDISCIPLINAR, Santa Fé do Sul, São Paulo, v. 11, n. 13, p. 1–19, 2022. DOI: 10.24980/ucm.v11i13.5623. Disponível em: https://seer.unifunec.edu.br/index.php/rfc/article/view/5623. Acesso em: 28 set. 2022.