FIBROMIALGIA: IMPACTOS NA VIDA EMOCIONAL E SOCIAL DO PACIENTE

Autores

  • Laura Letícia Diniz de Almeida QUEIROZ Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Tainá Laura Salles CUNHA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Daniela PICOLO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec

Palavras-chave:

Fibromialgia, Impactos emocionais e sociais, Qualidade de vida

Resumo

A fibromialgia é uma doença crônica difusa cuja sintomatologia é caracterizada por dores musculares generalizadas não inflamatórias que se estendem por um período maior que três meses. Apresenta como sintomas complementares fadiga, sono não reparador, alterações da memória, da atenção, disfunções intestinais, depressão, entre outros. O diagnóstico da doença ocorre de forma clínica, pois não existem exames laboratoriais, porém há critérios de acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia que auxiliam no diagnóstico. A doença pode apresentar grande impacto na vida do paciente de ordem emocional e social, o que reduz consideravelmente sua qualidade de vida. O presente artigo teve como objetivo apresentar os impactos psicossociais da fibromialgia na vida da pessoa, ressaltando os abalos nos aspectos emocionais, sociais e, consequentemente, na sua qualidade de vida do mesmo. O artigo foi elaborado por meio de pesquisa integrativa, com buscas em bases de dados, como: Google Acadêmico e BVS(Biblioteca Virtual de Saúde), sendo selecionadas publicações no período de 2008a 2018. Com base nos resultados, concluiu-se que a fibromialgia afeta aspectos psicossociais na vida do indivíduo, causando sintomas como isolamento social, baixo rendimento nas atividades diárias, dificuldades de exercer atividades laborativas, depressão, ansiedade, sentimento de desamparo, entre outros. Portanto, entende-se que a fibromialgia impacta negativamente o bem-estar do indivíduo.

Downloads

Publicado

2021-04-06