OS FATORES ETIOLÓGICOS DA SÍNDROME DE FADIGA POR COMPAIXÃO EM PROFISSIONAIS DA SAÚDE NO CONTEXTO HOSPITALAR: REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

  • Camila Falchi PEREIRA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Marina Aparecida de OLIVEIRA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Alexandre dos SANTOS Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec

Palavras-chave:

Profissionais, Contexto hospitalar, Fadiga por compaixão, Saúde

Resumo

O adoecimento de profissionais da área da saúde é decorrente de uma condição psíquica deletéria em que a falta de ser cuidado pode levar o indivíduo a adoecer. Em certas circunstâncias, como o ambiente de trabalho, a carga horária excessiva, cobrança em excesso, alto fluxo de atendimento e o constante contato de cuidados direcionados a pacientes causam alto nível de desgaste, estresse e, consequentemente, enfermidades a estes profissionais. Assim, o objetivo dessa pesquisa é investigar os fatores etiológicos acerca dos fatores associados à síndrome da fadiga por compaixão entre os profissionais de saúde que atuam no contexto hospitalar. Para tanto, este estudo foi desenvolvido por meio de revisão integrativa. Com base na análise realizada, é possível perceber que um ambiente de trabalho com fortes condições de estresse, autoritário e que exige muito física e emocionalmente dos profissionais pode lhes ocasionar adoecimento crônico. De fato, existem práticas investigativas que asseguram que modificações nas rotinas de trabalho, no ambiente e em alguns casos atividades grupais, terapêuticas e psicoterápicas favorecem melhora na saúde do trabalhador. A partir das informações coletadas, constata-se que o índice de adoecimento de cuidadores e outros profissionais da área de saúde têm aumentado significativamente em decorrência das condições de trabalho, sobretudo no que se refere ao contato constante com o sofrimento humano, além de diversos fatores que corroboram para o comprometimento da saúde destes profissionais

Downloads

Publicado

2021-04-06