PSICOLOGIA SOCIAL COMUNITÁRIA NA COMPREENSÃO E DESCONTRUÇÃO DA MASCULINIDADE TÓXICA

Autores

  • Isabella da Costa CASSIANO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Paola Fernanda de OLIVEIRA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Thiago Henrique Muniz MORILHA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec

Palavras-chave:

Masculinidade, Saúde Mental, Homem

Resumo

A masculinidade tóxica se caracteriza pela imposição e definição de masculinidade que pode definir um padrão cultural e social estabelecido desde a infância, colocando alguns homens em papéis que podem de alguma forma privar, adoecer e aprisioná-los. Nesse contexto é possível elucidar fatores estruturais pré-estabelecidos que contribuem para que esse conceito de masculinidade tóxica se perpetue. O objetivo desse artigo é elucidar ações da psicologia social comunitária na compreensão e desconstrução da masculinidade tóxica.Utilizou-se como metodologia a revisão integrativa em pesquisas nas bases de dados BVS, LILACS, SCielo e Google Acadêmicos. Os resultados indicam que a masculinidade tóxica pode causar a padronização dos comportamentos dos homens e fazer com que assumam papéis sociais que não correspondem a sua identidade. Conclui-se que esse modelo de masculinidade atual pode afetar não só o comportamento do indivíduo, mas também sua saúde mental e relações.Deste modo, a psicologia social comunitária age de maneira a oferecer serviços que levem os homens a repensar quem em são e quem gostariam de ser por meios de ações oferecidas individualmente ou em grupo, como palestras, atividades para reeducação cultural e até atendimentos.

 

Downloads

Publicado

2021-04-06