PSICOLOGIA SOCIAL COMUNITÁRIA NA PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Autores

  • Anne Karoline Silva ROCHA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Barbara Andrade DANTAS Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Thiago Henrique Muniz MORILHA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec

Palavras-chave:

Violência contra mulher, Psicologia comunitária, Intervenção

Resumo

A violência contra a mulher é estabelecida como qualquer conduta fundamentada de gênero que, como consequência, seja a morte, o dano ou o sofrimento físico, sexual ou psicológico à mulher. A violência gera diferentes resultados na vida da mulher, tais como lesões e traumas físicos, gravidez indesejada podendo vir de abusos ou não, infecções sexualmente transmissíveis, danos psicológicos e sexuais. O objetivo deste trabalho é identificar quais ações da psicologia comunitária são utilizadas na prevenção da violência contra a mulher.Utilizou-se como metodologia a revisão integrativa com pesquisas na base de dados BVS Salud (Biblioteca Virtual de Saúde).Os resultados encontrados foram as ações do PAIF, as ações de fortalecimento e empoderamento, ações educativas e de conscientização de agressores, ações de fortalecimento grupal e fortalecimento das redes de serviço, seja através de atendimentos individuais ou coletivos, que proporcionam a reflexão entre as diferenças de gênero, as relações de dominação, e outros fenômenos sociais que promovem as diferenças. Conclui-se que a atuação da psicologia comunitária se materializa nas políticas públicas de assistência social e de saúde, compreendendo as relações como acontecem, e ofertando um espaço de diálogo e transformação social, como acolhida, oficinas com famílias, ações comunitárias e particularizadas e por último, encaminhamento para outros setores emergenciais como atendimento em saúde, atendimento clínico de psicologia ou psiquiatria e Delegacia dos Direitos da Mulher.

Downloads

Publicado

2021-04-06